Mercado de Locação

Microcity prevê investir R$ 100 milhões na compra de PCs para locação

Com atuação no mercado desde 1984, e com faturamento 100% derivado do modelo de locação de equipamentos, a mineira Microcity planeja investir R$ 100 milhões na compra de PCs para atender a sua demanda, no ano passado, foram aportados R$ 88 milhões na aquisição dos equipamentos.

O desafio para 2021 está, sim, na questão da escassez de componentes, mas o planejamento fez valer as entregas, além do uso dos distribuidores e dos seus estoques. “Com os distribuidores conseguimos administrar o prazo maior de entrega direta dos fabricantes, uma vez que o recebíamos em 15 dias, hoje, estamos recebendo entre 45 a até 60 dias”, conta o diretor Comercial e de Marketing da Microcity, Tiago Miranda.

No modelo de compras governamentais, na locação de equipamentos, as esferas estaduais e municipais estão mais avançadas que o governo federal. “O modelo de DaaS, ou PC como serviço, ainda não é a opção federal, mas a maior parte dos clientes não quer só o equipamento, quer o serviço embutido, como a instalação de software, manutenção etc. Eles querem contrato por qualidade de serviço. Hoje temos mais de R$ 600 milhões em receita dos contratos”, afirma Miranda.

O teletrabalho ajudou muito. Tanto que este ano, 62% do resultado esperado para 2021 foi alcançado nos primeiros seis meses do ano. Para conseguir cumprir o prazo e ter o estoque disponível, a Microcity contou muito com os distribuidores. De acordo com Tiago Miranda, eles foram cruciais com seus estoques. “O que está contando também é que os clientes, cientes da escassez, estão revendo seus próprios negócios”, relata.

A variação do dólar pesou bastante- até pela oscilação – mas os projetos não estão paralisados, acrescenta Tiago Miranda. No governo, a expectativa é que os próximos 12 meses serão de mais aquisições, uma vez que o segundo semestre de 2022 será marcado pelas eleições. “Temos convicção que há muito trabalho pela frente”, diz Luiz Cláudio Félix, gerente de vendas para governo. Outras áreas começam a ganhar força também: como redes Wi-Fi como serviço. “Essa tendência começa a ganhar bastante corpo e vai mexer com a atividade daqui pra frente”, adiciona Félix.

Em 2020, a Microcity teve um faturamento de R$ 140 milhões, um crescimento de 26% em vendas em relação ao ano de 2019, o que representou o melhor resultado da história da empresa. Para 2021, a expectativa é obter um faturamento de R$ 165 milhões, sendo R$ 40 milhões de contratos com o Governo.

Fonte: Convergência Digital

0 comentário em “Microcity prevê investir R$ 100 milhões na compra de PCs para locação

Abra o Chat
Fale Conosco
%d blogueiros gostam disto: