Máquinas & Equipamentos Mercado de Locação

CUB aponta elevação de 0,25% em março

Um dos índices mais relevantes para o setor da construção, o Custo Unitário Básico (CUB) registrou alta de 0,25% em março. Os dados são do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com o resultado, o indicador, que estabelece o custo básico para a construção civil e reflete a variação desses valores no setor, acumula alta de 0,78% no ano e variação de 10,5% em 12 meses. Além disso, o CUB assegura um critério de comparação universal e é comumente utilizado na elaboração de orçamentos e no mercado de incorporação mobiliária como um todo.

A atualização mensal do índice ainda apresenta especificidades acerca dos custos administrativos — também conhecidos como valor do salário dos engenheiros, que registrou variação nula em março e de 5,12% nos últimos 12 meses —, dos custos com a mão de obra — com variação nula em março e de 6,30% em 12 meses — e dos custos com materiais — que tiveram variação de 0,58% no mês, de 1,82% no ano e 16,63% em 12 meses.

O CUB representativo da construção paulista (R8-N) sem desoneração ficou em R$ 1.767,46 por metro quadrado em março. Com desoneração, ou seja, com alíquotas diferenciadas na folha de pagamentos de uma empresa, esse valor é de R$ 1.654,35.

A variação do CUB nessa modalidade (com desoneração) foi de 0,27% em março, em comparação com o mês anterior. Em 12 meses, a variação foi de 10,77%. No ano, foi de 0,83%. Nos custos médios, as variações permaneceram nulas em março para o administrativo (salário dos engenheiros) e para a mão de obra. Para os materiais, todavia, o aumento foi de 0,58%.

INSUMOS

No terceiro mês do ano, 18 materiais apresentaram variações superiores às do CUB. As mais representativas são:

• Porta lisa para pintura 3,5x70x210 cm (+4,86%);
• Areia média lavada (+4,27%);
• Brita 2 (+3,05%);
• Bacia sanitária branca com caixa acoplada 6 litros (+2,58%);
• Emulsão asfáltica com elastômero para imperm. (+2,49%); e
• Concreto FCK=25MPa (+2,43%)

Em março, as variações mais expressivas em 12 meses foram:

• Chapa compensado plastificado 18mm (+41,02%);
• Bloco de concreto 19x10x39 cm (+24,44%);
• Vidro liso transparente 4mm com massa (+21,65%);
• Emulsão asfáltica com elastômero para imperm. (+20,71%);
• Placa de gesso para forro sem colocação (+20,35%); e
• Telha ondulada fibrocimento 6mm (18,80%).

Fonte: AECweb

0 comentário em “CUB aponta elevação de 0,25% em março

Fale Conosco
%d blogueiros gostam disto: