Mercado de Locação

Mercado de locação de equipamentos no Brasil tende a crescer ainda mais nos próximos anos

mercado de locação de equipamentos tem ganhado muitos adeptos no mundo e no Brasil e a estimativa é que ele movimente US$136,5 bilhões até 2027, de acordo com a Grand View Research, Inc. Essa forma de consumir tem como base a economia colaborativa, na qual, por diversos motivos, as pessoas dão preferência ao acesso em vez da posse. Assim como vem acontecendo com outros setores, a área de locação também sofre impactos devido à pandemia da COVID-19. Mas, mesmo assim, os resultados são otimistas e a tendência, para um futuro próximo, é o aparecimento de muitas oportunidades.

Apesar de estar em crescimento desde a crise econômica de 2008, a economia do compartilhamento sempre esteve, de modo informal, presente no contexto do convívio social. Seja pedindo uma ferramenta emprestada, ou uma xícara de açúcar para a vizinha. Entretanto, o dividir como um modelo econômico foi viabilizado pelos avanços da tecnologia da informação e comunicação. Bem como outros fatores, como o desejo de consumir de maneira mais sustentável, ter um estilo de vida mais acessível, construir conexões sociais, maior conveniência e preservar o meio ambiente.

Os principais adeptos para esse formato de consumo são jovens de 18 a 24 anos que acreditam não ser mais necessário adquirir um produto ou serviço para usufruir dos seus benefícios. Ou seja, priorizam o acesso em vez da posse. Segundo um levantamento feito pela  Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em 2018, 68% dos brasileiros estavam dispostos a adotar mais práticas da economia colaborativa. Em 2019, 81% dos brasileiros tinham essa vontade.

Para entender mais sobre o mercado de locação de equipamentos e saber como aproveitar as tendências, continue neste artigo. Aqui você verá:

  1. Como o mercado de locação de equipamentos tem acontecido nos últimos anos
  1. O avanço durante a pandemia
  1. Previsões para o futuro desse mercado
  1. Como o mercado de locação de equipamentos tem acontecido nos últimos anos

Para 88% dos entrevistados pela CNDL e SPC Brasil, o consumo por meio de trocas e compartilhamento vem ganhando espaço na vida das pessoas. Sendo que 91% se diz satisfeito com os serviços já utilizados. Isso aconteceu, especialmente, porque, não só as pessoas físicas, mas as empresas perceberam as vantagens de adotar a locação de equipamentos como uma prática constante.

Por exemplo, se a sua empresa compra cinco computadores, gasta, em média, R$20 mil somente pelas máquinas, sem manutenção. Quando as máquinas ficarem ultrapassadas e não mais suprirem as suas necessidades, será preciso investir mais dinheiro para fazer a reposição. Mas, se sua empresa optar pela locação de computadores, terá acesso às cinco máquinas, desembolsando, mais ou menos R$800 mensais, e também teria direito ao suporte. Quando as máquinas ficarem desatualizadas, é possível renovar todo o acervo mantendo o orçamento mensal.

Mas, a vantagem da locação não tem estado somente no setor de computação, a construção civil também tem aproveitado os benefícios. 30% do maquinário na construção pesada e infraestrutura vem do mercado de locação (há dez anos, esse mercado era de apenas 15%). Em 2019, a locação de equipamentos para construção civil gerou negócios no valor de R%%EDITORCONTENT%%nbsp;7,1 bi, operando com 46% da capacidade média.

Os motivos para alugar são semelhantes: ter equipamentos novos, tecnicamente adequados ao trabalho e economizar, auxiliando a driblar a crise e mantendo-se dentro do orçamento das obras.

  1. Como o mercado de locação de equipamentos avança durante a pandemia

Parte significativa das locações de equipamentos de computação acontecia para grandes eventos, porém, com a pandemia, esses eventos passaram a ser proibidos para evitar aglomerações. Mesmo assim, de acordo com a Analoc (Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações Representantes dos Locadores de Equipamentos, Máquinas e Ferramenta), o mercado de rental cresceu de 15% a 20% devido ao home office. A Associação ainda avalia que os negócios gerados nos dois primeiros meses de 2020 foram melhores quando comparados com o mesmo período do ano anterior.

Já no âmbito da locação de máquinas para construção civil, apesar de também ainda não estar funcionando normalmente, há segmentos que que apresentam crescimento. Um exemplo é o de obras menores, de reformas e de construções de casas, sobrados e prédios pequenos. No primeiro semestre de 2020, o aluguel de máquinas pesadas também fechou otimista. Isso aconteceu porque as importações ficaram mais difíceis, devido ao câmbio e fechamento de fronteiras. Além também da procura de renovação da frota para equipamentos mais tecnológicos e econômicos.

  1. O futuro do setor no Brasil

Com o home office sendo algo presente no novo normal, a tendência para o mercado de locação é estar cada vez mais presente. No país, o grande destaque vai para a área da construção civil, especialmente devido ao Marco Legal de Saneamento. Essa legislação traz muitas oportunidades, uma vez que gera um verdadeiro boom de obras em todo território nacional.

O objetivo do novo marco de saneamento é alcançar a universalização até 2033. Assim realizando obras para garantir que 99% da população brasileira tenha acesso à água potável e 90% ao tratamento e coleta de esgoto. Com isso, a estimativa é que sejam injetados de R$ 500 bilhões a R$ 700 bilhões em dez anos. Com a crise acarretada pela pandemia, muitas empresas diminuirão a compra de maquinário próprio. Sendo assim, o mercado para a sua locadora de equipamentos será aquecido conforme a economia se reaquecer, tendo as possibilidades de aluguel multiplicadas.

Segundo o levantamento da CNDL e da SPC Brasil, a internet é o meio que mais impulsiona a locação, principalmente por sites especializados (69%) e redes sociais (54%). Ou seja, é essencial que a sua empresa de locação de equipamentos esteja no mundo digital e em diversas plataformas.

É preciso se adequar a esse movimento e, um dos pontos principais, é oferecer segurança para quem está alugando. 45% das pessoas tem medo de serem passadas para trás ao locar algo e 33% temem a ausência de garantias em caso do não cumprimento do acordo. Por isso, o ideal é investir em plataformas que solucionem essas preocupações dos clientes, ao mesmo tempo que te auxiliam na gestão dos negócios, como a ELOCA. Assim, o cliente final tem todas as garantias de um serviço de qualidade e o seu sistema se torna integrado e automatizado, facilitando e otimizando o trabalho por meio da internet.

Fonte: Eloca

0 comentário em “Mercado de locação de equipamentos no Brasil tende a crescer ainda mais nos próximos anos

Abra o Chat
Fale Conosco
%d blogueiros gostam disto: