Acontece

Com IPO, Unifique quer captar recursos para ampliar banda larga e comprar novas empresas

Ao decidir pela abertura de capital, a Unifique, provedora de internet catarinense com sede em Timbó, vai em busca de novos recursos para acelerar a expansão do negócio, que passa pelo crescimento em mercados já atendidos, ampliação para novas áreas e aquisições de empresas. Detalhes dessa estratégia foram reveladas no prospecto preliminar em que a companhia pede à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o registro para uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). O documento foi protocolado na terça-feira (11). A coluna antecipou em primeira mão a operação.

A IPO está sendo coordenada pelos bancos XP, BTG Pactual e Itaú BBA. No prospecto preliminar, a Unifique se apresenta como a operadora de telecomunicações com a melhor banda larga e telefonia fixa do Brasil, em alusão a pesquisas de satisfação feitas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), “se consolidando como a maior provedora de fibra óptica no estado de Santa Catarina”.

A empresa informa, no documento, que já cobre mais de um milhão de residências e conta com mais de 18 mil quilômetros de fibra óptica, “com um modelo de negócios enxuto e escalável que permitiu a execução de um forte crescimento na região (Sul) com altos índices de rentabilidade”.

Em 31 de março, acrescenta o prospecto, a empresa totalizou 318 mil acessos em mais de 122 municípios catarinenses e outros cinco do Paraná. Além disso, a Unifique diz estar ampliando a operação para o Rio Grande do Sul. Dentro dessa estratégia, a companhia comprou no mês passado a Naja, operadora com forte atuação na região metropolitana de Porto Alegre, Serra Gaúcha e Vale dos Sinos e que faturou R$ 22,3 milhões em 2020. Foi a 15ª aquisição feita em um período de dois anos.

Além disso, a Unifique informou que tem outras fontes de crescimento, como o mercado B2B, por exemplo. Uma das ações é a intensificação de vendas para pequenas e médias empresas, com oferta de serviços de data center, central telefônica virtual, câmeras virtuais na nuvem e soluções de proteção contra ataques virtuais.

A Unifique fechou 2020 com receita operacional líquida de R$ 286 milhões, incremento de 75% na comparação com 2019. No primeiro trimestre de 2021, o indicador totalizou R$ 89,8 milhões, alta de 39,5% frente o mesmo período do ano anterior. Apesar de ter a banda larga como principal produto, a companhia também oferece serviços de telefonia fixa e móvel, serviços de TV por assinatura e locação de equipamentos, entre outros.

Fonte: NSC Total

0 comentário em “Com IPO, Unifique quer captar recursos para ampliar banda larga e comprar novas empresas

Abra o Chat
Fale Conosco
%d blogueiros gostam disto: